terça-feira, 14 de junho de 2011

SOBRE RELACIONAMENTOS

       

 
         

            Seja o relacionamento uma amizade,  um namoro, profissional ou mesmo familiar, a sociedade é composta por interações e elas influem no comportamento de todos. É  impossível ser totalmente original, por mais que uma pessoa acredite ser  imune a influências externas são elas que determinaram boa parte de seu eu presente. Existem aspectos pessoais e genéticos envolvidos neste processo de formação da personalidade, porém qual desses aspectos é o mais relevante varia em cada caso, não sendo possível generalizar.

           Muitos acreditam que são eles mesmos que se formam e até alegam que não precisam de ninguém, mas o que seria uma pessoa que nasce em um local onde não há pessoas para se relacionar? Até mesmo a felicidade é dependente dos relacionamentos. A vaidade física, financeira ou intelectual não faria sentido se não houvesse a quem impressionar. Aliás é este vão desejo de impressionar que estimula várias de nossas ações, e mudar a motivação de nossos atos é a tentativa das mais eminentes doutrinas.

           
            É arrogância,  portanto, desdenhar os relacionamentos, apesar de ser recomendável selecioná-los, afinal existem pessoas de convívio insuportável, incapazes de vislumbrar coisas boas, transmitindo então somente aspectos ruins da vida para seu próximo. O oposto também se aplica entretanto, há pessoas que visam o melhoramento contínuo, não apenas em determinado setor da vida como no financeiro, e são essas que devemos buscar e mantê-las próximas.

           
           O ditado ' a união faz a força' é verdadeiro. As próprias organizações são amostras de que para o alcançe de certos objetivos é imprescindível a cooperação entre as pessoas. Os maiores progressos da humanidade foram e ainda são obtidos por meio de esforço conjunto. É, portanto, inerente ao homem a necessidade de se relacionar, e é o que acrescenta sentido à sua vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário